sábado, 3 de novembro de 2007

Politicamente correto

Hesitei em escrever esse texto porque eu acho que vou ser xingado. Mas, sei lá, quando eu pensei esse blog junto com o PH e, depois, com o Nuno e a Elis, tinha a idéia não só de fazer uma montoeira de textos, mas um espaço pra algum debate. Tá bom, vamos parar de enrolação, eu quero é botar lenha na fogueira!

Odeio esse lance de politicamente correto, acho um porre. Nada pessoal, Elis. Não digo que seja seu caso, mas muitas vezes é pura hipocrisia. Eu nunca quis ter um boneco do Comandos em Ação tetraplégico e nunca brinquei de Jaspion maneta. Não sei até que ponto ter bonecos como esses me faria uma pessoa melhor e mais tolerante.

Que fique claro, não sou preconceituoso e defendo a inclusão social. Acho que nossos políticos têm que investir em calçadas melhores, exigir adaptações nos ônibus, e essas coisas todas. Mas esse debate tem limite, tem momentos que ele beira o ridículo.

Parapan, por exemplo, é muito chato! Mais chato ainda é a discussão sobre a pouca atenção que a massa dá a ele. A Olimpíada (e o Pan também) é, por definição, excludente. Só jogam os melhores, mais fortes e mais rápidos. Eu nunca vou poder disputar uma Olimpíada porque, assim como um deficiente físico, eu não nasci forte o suficiente.

Da mesma forma que uma pessoa sem perna não consegue jogar na Seleção, eu, Nuno e PH juntos também não conseguimos roubar uma bola do Robinho. Claro, deficientes têm direito a jogar futebol, a competir, mas não podem esperar – como muitos pregam – que o jogo de futebol de cegos tenha a mesma atenção do Campeonato Brasileiro. Ninguém nunca se interessou nas minhas peladas de quarta-feira também.

Vale ler uma entrevista do site Mídia sem Máscara com o filósofo Vladimir Volkoff em
http://www.midiasemmascara.com.br/artigo.php?sid=1930. Ele é também um crítico contundente do politicamente correto.

Boneca com síndrome de down? Sei não, parece brincadeira de mau gosto.

4 comentários:

Pedro H. Martins disse...

Sensacional. Primeiro fogo cruzado do Canteiro! Concordo com o Marcio. Outro papo que me perturba é dessa galera natureba que quer salvar a amazônia e beber xixi porque é saudável... E fica chocado com gente que come baby beef (é assim que se escreve?). Eu adoro comer um bezerrinho torturado.. Há limites, fala sério! hahah

Elis Bartonelli disse...

uaaauuu!!!guerra entre os coloaboradores do canteiro!
marcio, até o ph tb já tinha me falado disso da hipocrisa.E hj a minha mãe veio me falar que tb achava isso um pouco de hipocrisia. Eu até concordo, em parte. Mas eu nunca achei que bonecas negras ou com síndrome de down fossem a solução para o preconceito ou para a inclusão social!Londe de mim isso. acho positivo que elas existam, para quebrar os padrões das bonecas loiras,lindas e magras, o modelo de mulher que toda menina quer ser ou ter como filha.
Agora, mundando de assunto: só a gente comenta nesse blog!A gente, a isadora e, de vez em quando , o bernardo!Será q nosso blog não está pop?

Elis Bartonelli disse...

PS: Sim, minha mãe lê o canteiro cabul com frequência.

Pedro H. Martins disse...

E a minha tia, não esqueçam!